Projeto Oficinas Musicais: Estimulando Autonomia e Criatividade na Perspectiva da Educação em Saúde

Leila Brito Bergold - Coordenadora do Projeto de Extensão Oficinas Musicais
Lucas Oliveira Araújo -. Bolsista do Projeto de Extensão Oficinas Musicais
Márcia Aparecida Rangel da Silva - Bolsista do Projeto de Extensão Oficinas Musicais

 

Este é um relato de experiência acerca do Projeto de Extensão: Oficinas Musicais: promovendo aprendizagem, criatividade e cidadania, desenvolvido na UFRJ – Campus Macaé Prof. Aloísio Teixeira. O presente projeto procura, através da utilização da música e atividades lúdicas, desenvolver estratégias para a promoção e educação em saúde. A música pode ser um estímulo para o estabelecimento do diálogo, que tem uma importância central na perspectiva do cuidar e educar em saúde (BERGOLD; ALVIM, 2009).

Participação dos alunos da rede municipal na apresentação do Projeto Oficinas Musicais e Brinca que Melhora na SNCT - 2012A aplicação da dialogicidade no cotidiano da prática educativa pode reconstruir saberes dentro de um grupo, promovendo trocas e favorecendo a conscientização (ALVIM; FERREIRA, 2007). A promoção da saúde é importante em todas as etapas da vida do ser humano, mas, a infância e adolescência são fases críticas para o desenvolvimento e formação da pessoa, por isso, optou-se por escolher a escola como o primeiro local para a produção de conhecimento em saúde através de atividades musicais. Assim, estimulou-se a participação dos bolsistas e voluntários nas Oficinas de Música, para que desenvolvessem habilidades musicais e interativas através da experimentação e integração grupal. É importante apontar a possibilidade da música como mediadora de um processo amplo de ensino-aprendizagem, que pode promover um processo de desenvolvimento de sentidos e significados em que o educando refletindo o mundo em volta, transforma a ele próprio (SEKEFF, 2002). Esse trabalho propõe-se a descrever as atividades de educação em saúde realizadas pelos integrantes das Oficinas Musicais e analisar a influência da música como recurso para a educação em saúde.
As atividades de educação em saúde desenvolvidas em agosto, setembro e outubro de 2012, em escolas municipais de Macaé. Na E.M. Neuza Goulart Brizola, com 35 adolescentes na fase inicial, com idade entre 10 e 12 anos, foram realizados 6 encontros de 2 horas, na sala de aula. Foi feita uma aproximação com a direção e professores, e realização de ambientação para conhecer os problemas e necessidades da escola, seguida de reuniões dos participantes do projeto para estudar o tema Sexualidade, Gravidez e Doenças Sexualmente Transmissíveis e planejar a estratégia de educação em saúde. Iniciou-se a atividade com a aproximação do universo vocabular através de perguntas dos alunos, depositadas em uma caixa; e posteriormente, respondidas pela equipe. Depois foram elaboradas paródias musicais sobre o tema, visando sedimentar o conhecimento através de apresentação na Feira de Ciências da Escola, de forma a disseminar o tema trabalhado.

A segunda escola foi a E.M. Therezinha Carvalho Moreira, cenário de um evento organizado por outros projetos de extensão do Campus Macaé, voltado para a alimentação saudável. Por meio da atividade “Cantando com os Alimentos”, foram envolvidas 14 crianças de 4 a 7 anos, 14 responsáveis e diversos professores da escola. Nesta atividade cantaram-se canções, sendo distribuídas imagens de alimentos às crianças, estimulando a conscientização do que é adequado para a alimentação, enquanto trabalhava-se a atenção e percepção das mesmas, na perspectiva do alimento saudável.

Observou-se como conseqüência da atividade que os alunos foram capazes de reproduzir os conhecimentos trocados com os bolsistas. Promoveu-se a redução da ansiedade e constrangimento ao falar sobre o tema da sexualidade e foram criadas, por parte dos alunos, três paródias de músicas com o tema abordado nas atividades. Houve troca de conhecimento e afinidade entre participantes por meio da integração e apoio grupal. Foi possível perceber facilidade dos alunos em lidar com os aspectos musicais tais como ritmo e melodia, reafirmando a possibilidade de se utilizar recursos musicais em outras atividades de educação em saúde.

No outro colégio as crianças foram capazes de reconhecer os diferentes alimentos, discriminando os que eram saudáveis por meio de atividades envolvendo percepção e conhecimento de alimentos diversos, os alunos tomaram conhecimento acerca de diferentes alimentos e suas funções, ampliando seu conhecimento, juntamente com as diferentes atividades desenvolvidas pelos outros projetos de extensão.

Conclui-se que a música contribuiu para o desenvolvimento das ações educativas com as crianças, de forma criativa e lúdica. O desenvolvimento de paródias com os alunos promoveu conhecimento sobre o tema da sexualidade, além de contribuir para a conscientização dos alunos, promovendo assim a saúde no ambiente escolar. O êxito da atividade trouxe novo convite da direção para que esse trabalho fosse desenvolvido com outras turmas da escola. As atividades voltadas para a alimentação saudável, desenvolvidas ludicamente com as crianças, junto com as informações fornecidas aos pais, contribuíram para a percepção de alternativas alimentares que visam melhorar o padrão nutricional familiar através da escolha de diferentes alimentos e de um estilo mais saudável de alimentação. Ressalta-se assim a importância de se desenvolver estratégias criativas para a educação em saúde em diferentes contextos, promovendo a saúde de forma integral e abrangente. Destaca-se também a importância de ações educativas desenvolvidas em conjunto por diferentes projetos de extensão, pois estas potencializam a efetividade e o alcance de propostas para a promoção da saúde.

Referências:

ALVIM, N.A.T.; FERREIRA, M.A. Perspectiva problematizadora da educação popular em saúde e a enfermagem. TextoContexto Enferm, Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 315-319, abril-junho, 2007.
BERGOLD, L.B.; ALVIM, N.A.T. Corpo e Música.In: FIGUEREIDO, N.M.A.; MACHADO, W.A. Corpo e Saúde: Condutas Clínicas de Cuidar. Editora Águia Dourada, p. 217-229, 2009.
SEKEFF, M.L.  Da música, seus usos e recursos. São Paulo. Editora UNESP, 2002.172p.

 

Pró-Reitoria de Extensão - PR-5
Av. Pedro Calmon, 550 - Prédio da Reitoria - 8º andar – Salas 815 
Cidade Universitária - Rio de Janeiro RJ - CEP: 21941-901

Tel. (21) 2598-9647 / 2598-9696  Fax: (21) 2598-9695 - E-mail: gabinetepr5@pr5.ufrj.br

UFRJ Setor Padrão
Hospedado por: TIC/UFRJ